em terça-feira, setembro 04, 2012

Já escrevi canções que nunca foram cantadas
E sonhei poesias que não foram escritas
Reparei em belezas descartadas
Com meu sorriso amarelo
E meu caminho discreto
Chorei amigos perdidos
E dancei para os meus inimigos

Sei que a vida é breve

E até que eu me desperte
Decidi que a mágoa não pode ter lugar
E o tempo? Parei de esperar
Pois, maior (infinitamente maior) é o meu desejo de amar

(Karol Coelho)


2 comentários:

Erica Ferro disse...

Sempre infinitamente maior!
=D

Letícia disse...

A gente precisa de algo para amar, se não, não faz sentido.

Lindo Karol!

 
imagem do banner Design