São águas passadas, escolha uma estrada e não olhe pra trás.

em quarta-feira, maio 04, 2011


Prometera não chorar mais. Depois de muito tempo, entendeu o pecado do olhar pra trás. Naquele dia, foi firme. Pelo menos, o quanto podia. Chorara durante a conversa, sim. Sentia o rosto arder enquanto subia a rua dos mortos. Não podia se entregar assim, o mundo continuaria o mesmo. A toca da blusa de frio protegia os olhos inchados. Mas não faria muita diferença. Ele não puxara o braço dela, ele a deixara ir. E seria pra sempre dessa vez.

Sabia... O sorriso deveria continuar o mesmo, o olhar o mesmo. O tempo sempre curara o coração machucado. E aprenderia, assim como já aprendera antes, a lidar com a fase da cicatrização, e por fim, das cicatrizes.

O que não entendia, por enquanto, é porque ele a deixara ir. Sabia que não ia fazer muita diferença, talvez doesse mais saber da verdade por completo, nua e crua.

Não importa. Levantou, ergueu a cabeça, derrubou as últimas lágrimas e foi-se embora. Não olhou para trás. Não devia olhar pra trás. Não podia. Nenhum pedaço mais poderia ficar ali, nenhum olhar, nenhuum resquício de arrependimento. Precisava ir embora por completo. E assim o fez.

"Se sou amado, quanto mais amado, mais correspondo ao amor. Se sou esquecido, ... devo esquecer também. Pois amor é feito espelho: -tem que ter reflexo." (Pablo Neruda)

Letícia Christmann

3 comentários:

Vanessa disse...

Muito bom, lindo ;)
É tão trsite quando um amor chega ao fim.

Patrícia ♥ disse...

Que lindo o seu cantinhoo..
adorei aqui!!

estou seguindo..
retribui??

beijios
http://pathyoliver.blogspot.com
http://momentosdapathy.blogspot.com

uma criança. disse...

Ainda há quem lhe retribua, e ainda há quem lhe seque essas lágrimas e lhe ofereça um ombro.

e tenho dito.

 
imagem do banner Design