A nuvem do amor - de lá caí.

em segunda-feira, maio 25, 2009
"Sinto falta de você, e a palavra que me cura ninguém vai dizer..."

E eu complemento: principalmente você!

Não queria que os outros dissessem o que eu quero ouvir de você.
Mas, sabe, até deixei de acreditar que você um dia possa falar aquelas coisas.
Aquelas com as quais eu sonho (acordada e dormindo, literalmente).
A tua frieza, ai... a tua frieza queima em mim.
Por que fazes isso comigo? Tu não disseste que era meu amigo? Pelo menos eu tinha a alegria de ter a tua amizade.
Isso não era o bastante, claro, eu sempre tive a mania de querer ter mais do que eu posso ter. Mas é que eu te amo tanto, que queria que me amasses como eu te amo. Tudo bem, não da maneira como eu te amo, porque é muito intensa, muito imensa, mas pelo menos que me amasse da melhor maneira que tu pudesses.
Eu sei... é errado amar na intenção de querer ser amada.
Mas esse meu querer não é lógico, é impensado, um instinto, uma súplica do meu espírito.
Preciso do seu amor pra saber que sou: sou importante, digna desse amor que as pessoas tanto pregam.
Eu queria ser amada pra poder viver na plenitude, quem sabe, viver nas nuvens.
Mas sempre subi até as nuvens sozinha. Fiquei te chamando lá do alto.
Você fez uns movimentos, que até pensei que você fosse subir pra me encontrar, mas não passou de movimentos enganadores. Fiquei lá em cima sozinha, te esperando.
Te esperei lá durante anos. Pra ser bem exata, durante três anos.
Só que a nuvem balançou durante esses dias. Vou ser mais sincera, tem uns meses que ela vem balançando bastante. Mas sempre fui teimosa, acho que você se lembra disso, me agarrei com todas as forças àquela nuvem. Não queria cair de lá de cima. Definitivamente, não!
Mas você subiu até lá, meu coração quase saiu do meu corpo nessa hora.
Pensei: "Agora serei feliz, agora terei você aqui comigo. Para juntos flutuarmos nessa nuvem - a nuvem do amor!"
Mas não, você subiu só pra me empurrar. É, você foi cruel comigo.
Me empurrou, eu me feri toda, quebrei costelas, ossos e coração. E você o que fez? Riu, riu muito. Depois desceu pulou pra outra nuvem.

Depois daquela queda, jurei pra mim mesma nunca mais subir em nuvem nenhuma.
Não sei por que eu sinto que essa jura foi em vão, não vou conseguir cumpri-la. É sempre assim.
Mas uma coisa eu te juro (já estou eu jurando mais uma vez):
Com todas as minhas forças, vou tentar te esquecer, te matar aos poucos dentro de mim. Pensei em usar um veneno: o ódio. Pensei em te odiar na tentativa de, assim, te matar em mim.
Mas que boba! Não vou fazer isso, por mais que eu queira te odiar. Eu te amo e assim que será.
Te amando, e tu me ignorando.
Sabe qual vai ser o meu veneno? O tempo e a tua indiferença. Essas duas coisas me ajudarão a te esquecer, a te matar, a me refazer (e tem um tempo que já vem fazendo efeito, pouco, confesso, mas já está).

Espero, sinceramente, que você, um dia, ame com o fervor e a verdade com a qual eu ainda te amo.
Espero que te amem tanto quanto eu.

Espero que te queiram como eu ainda te quero.

Vou parar de subir em nuvens, vou parar de me encantar com esses príncipes. Sempre descubro que não são os meus príncipes. Afinal, será que eu tenho um a ser descoberto? Mas aonde mora essa criatura? Por que não vem ao meu encontro de uma vez, oras?!

(Erica Ferro)

4 comentários:

Gabriela Rohde disse...

que lindo! mesmo mesmo mesmo!
espero um dia escrever tçao bem quanto você, pois você toca o caração de quem lê seus textos (:
voltarei!
beijos =*

Gabi disse...

ta liindo lindoo mais só acho que essa pessoa não merece esse texto não ! beeijos;*

Bell Bastos disse...

Arrá! Pediu pra eu te visitar e eu vim! =D

Aliás, já cheguei com um texto maravilhoso, diga-se de passagem. Maravilhoso e ao mesmo tempo triste.

Mas sabe, todas nós somos assim, esperamos que chegue aquele alguém pra subir conosco nas nuvens e finalmente conseguirmos a felicidade plena, mas quando esse alguém chega, só é pra nos empurrar de lá.

Sinceramente, eu acredito que existe uma pessoa certa pra cada um no mundo. Mas aonde essa pessoa pode estar? E se não for nem no mesmo país? Acho que muitas dessas pessoas nem chegam a se encontrar, e se tornam duas pessoas infelizes no mundo...
__________________________________

Obrigada pelas dicas dos sites! *-*
__________________________________

Completamente lamentável, pessoas que depois que ficam "experientes" começam a ter essas crises de estrelismo. Triste mesmo.

Beeijos,
Bell.

Natty disse...

A gente sofre por causa de amizades, porque nos doamos de mais para eles/elas e queremos receber o mesmo. Sofri muito para aprender. Agora não me doou de mais (eu acho).

beijos

 
imagem do banner Design