Diários são baús de segredos

em sexta-feira, março 19, 2010
19/03/2010

"Querido diário,

O que vou relatar hoje é algo muito secreto, quase uma confissão. Estou cansado da fama, sinceramente. Não digo pelo fato de ser reconhecido por minha música, pelo meu talento, pois sempre foi algo que eu busquei e quis muito. Mas a fama também traz seu lado negativo. Por exemplo, antes podia sair tranquilamente ao shopping, a barzinhos sem causar tanto tumulto. Agora nem saio sequer, meu tempo é consumido para fazer meus shows, ir a programas de TV, rádio e etc. Não que eu ache isso tão ruim, mas sou apenas um garoto e às vezes eu queria ser "anônimo", queria poder ter a certeza de que tenho amigos sinceros, amores sinceros. Porque é fácil ser amado quando se é famoso, se é rico, tem status e CD's bem vendidos e sua música é tocada constantemente nas rádios. É fácil sentir que as pessoas são próximas de você quando você tem algo para dar, disponibilizar. Às vezes queria ter a certeza de que eu sou alguém especial, que aquela garota que diz me amar, me ama mesmo. Que minha música toca o coração dela, de fato; e não só porque milhares de outras meninas deliram quando eu canto. Queria ser apenas o Luan, um Luan qualquer, que pode ser encontrado em qualquer esquina, com qualquer violão e ter a convicção de que sou amado, importante como hoje sou pelo fato de ser reconhecido em todo o Brasil.
Ah, a fama! A fama é remédio para o ego como também é veneno. Ainda bem que, no meu caso, tem sido um doce, algo que não me envenenou e que eu sinto que não mexeu com a minha essência. Pena que as pessoas não possam ver além de mim, do meu belo penteado, do meu sorriso estampado, dos acordes do meu violão, da minha fama.
Ah, diário... Me desculpe por tanto drama, por tanta lamentação e tristeza, mas hoje eu estou cansado de tudo, até de um tal de Luan Santana.
Hoje eu só queria ser um ser humano sem nome, sem endereço, sem status.
Apenas eu e meu diário, relatando meus devaneios e percepções do mundo."

(Erica Ferro)



Aê! Depois de uma eternidade sem participar do Blorkutando, voltei! Se bem que a minha participação não será algo muito brilhante, mas gostei do que escrevi. Ser famoso deve cansar, balançar os neurônios e causar uma grande confusão na mente e na alma do tal famoso - ou seja, surge uma interessante crise existencial (risos). Foi legal brincar de Luan Santana, hehe.
Até mais, povo devaneado!

5 comentários:

Rebeca Postigo disse...

Gosto quando brincamos de escrever com nosso eu lírico masculino...
Os garotos ficam tão fofos (hahaha)...
Amei!!!

Bjs

Ana Carolina Lima Da Rosa disse...

adorei :B

- gabs, disse...

gostei tb do que escreveste Erica! Boa sooooooooorte! E volte com tudo.
Faz mto tempo tb que não participo, mas agora não me resta tempo... e criatividade... bom, as vezes tb não.
Adorei. fico imaginando eu famosa, acho que amor hoje em dia, sendo uma pessoa normal, já é complicado ser sincero e nos magoa, imagine saber que quem está ali ao seu lado dizendo lhe amar é uma farsa.. que só quer aparecer em fotos, ser famosa por uns tempos, ou até lhe dar um golpe de baú... a vida é complicada. e ser famoso hoje em dia é para aqueles que não querem mais viver.
bjs

Jééh disse...

nuuus Erica por um momento pensei realmente que era o Luan Santana, muito bom mesmo seu texto, acho que famoso ou não as vezes as pessoas realmente nos conhece, e acabamos sendo anonimos de nós mesmo/fato

bom voltei a ler os post's do "pensamentos devaneantes" e percebi que amo tudo que acontece aqui, cada suspiro, pensamentos e devaneios, amo ^^

Letícia disse...

Ela voltou, e agora pra ficar??

Não só os famosos, os não famosos tb mtas vezes tem o desejo de ser um cidadão sem nome, sem status, sem responsabilidades!

 
imagem do banner Design