Parto!

em domingo, março 01, 2009
A poesia prevalece!!!
O primeiro senso é a fuga.
Bom...
Na verdade é o medo.
Daí então a fuga.
Evoca-se na sombra uma inquietudeuma alteridade disfarçada...
Inquilina de todos nossos riscos...
A juventude plena e sem planos... se esvai
O parto ocorre.
Parto-me.
Aborto certas convicções.
Abordo demônios e manias
Flagelo-me
Exponho cicatrizes
E acordo os meus, com muito mais cuidado.
Muito mais atenção!
E a tensão que parecia não passar,
“O ser vil que passou pra servir...
Pra discernir...”
Pra pontuar o tom.
Movimento, som
Toda terra que devo doar!
Todo voto que devo parir
Não dever ao devir
Não deixar escoar a dor!
Nunca deixar de ouvir...
com outros olhos

- Amadurecência - O Teatro Mágico

2 comentários:

Letícia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arelly C. disse...

Parto-me.
Aborto certas convicções.

impressiona quando vemos o que éramos antes e o que somos hoje...

 
imagem do banner Design