Se eu morrer antes de você...

em segunda-feira, agosto 10, 2009
Se eu morrer antes de você, faça-me um favor: chore o quanto quiser, mas não brigue com Deus por Ele haver me levado.
Se não quiser chorar, não chore. Se não conseguir chorar, não se preocupe. Se tiver vontade de rir, ria. Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão. Se me elogiarem demais, corrija o exagero. Se me criticarem demais, defenda-me. Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam. Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo. Espero estar com Ele o suficiente para continuar sendo útil a você, lá onde estiver. E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase:
- "Foi meu amigo, acreditou em mim e me quis mais perto de Deus!"
Aí, então derrame uma lágrima. Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal. Outros amigos farão isso no meu lugar. E, vendo-me bem substituído, irei cuidar de minha nova tarefa no céu.
Mas, de vez em quando, dê uma espiadinha na direção de Deus. Você não me verá, mas eu ficaria muito feliz vendo você olhar para Ele. E, quando chegar a sua vez de ir para o Pai, aí, sem nenhum véu a separar a gente, vamos viver, em Deus, a amizade que aqui nos preparou para Ele.
Você acredita nessas coisas? Então ore para que nós vivamos como quem sabe que vai morrer um dia, e que morramos como quem soube viver direito.
Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo. Mas, se eu morrer antes de você, acho que não vou estranhar o céu...
"Ser seu amigo... já é um pedaço dele..."
Chico Xavier
PS-
Cheio de luz... Foi assim que Gustavo passou para o outro lado.
Uma acrobacia super bem feita, perfect, como ele gostava de fazer...
Sem nenhum deslize, sem nenhum tremor.
Os olhos cheios de sol. Cheios do azul berrante do céu.
O coração quente e transbordando com o verde a terra fértil.
O orgulho da acrobacia perfeita, tudo sob controle.
E, de repente, sem perceber, seu espírito já estava no reino de Deus.
Sem nenhum sofrimento, sem nenhuma perturbação.
Ele nem percebeu a passagem, pois já estava no céu.
É tão estranho, os bons morrem jovens. Saudades de ti meu eterno amigo. Cadete aviador Gustavo (07/12/83 - 31/08/04)
Postado por Letícia Christmann

2 comentários:

Erica Ferro disse...

Own, Lê.
Lindo esse texto do Chico.
Linda essa homenagem ao Gustavo.
Li um poema que você fez pra ele. Lindo e triste, por sinal. Muito verdadeiro, cheio de emoção.
Perdi pessoas queridas também, e não é fácil. Dói, mas me alegro por ter vivido lindos momentos com estas pessoas e me sinto privilegiada por isso.
Beijo.

Juliana disse...

Ola! Realmente o texto eh lindo... mas nao eh do Chico... tem muito "apego" nele... e nao condiz com o q o Chico escrevia... Tbem nao consegui encontrar a autoria correta... Mas como eh bem antigo, fico na duvida... Mario de Andrade... Vinicius de Moraes... bjos e lindo site!

 
imagem do banner Design